Coca-Cola Andina Brasil inaugura fábrica mais moderna da América Latina no RJ

03

A Coca-Cola Andina Brasil inaugurou nesta terça-feira (25/6), a sua mais moderna fábrica da marca na América Latina, em Duque de Caxias, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. A unidade é um exemplo do conceito de Indústria 4.0, com monitoramento, geração de dados e automatização (100% dos equipamentos e processos digitalizados), aliando sustentabilidade, tecnologia e desenvolvimento econômico.

A fábrica faz parte de um investimento de R$ 1,2 bilhão no Estado do Rio, que inclui ainda construção de um Centro de Distribuição no Caju, na Zona Portuária do Rio, a modernização e ampliação de quatro outros Centros de Distribuição (Bangu, Nova Iguaçu, Campos e São Pedro da Aldeia), assim como adaptações e expansão da fábrica de Jacarepaguá. Ao todo, foram gerados 2.788 novos postos de trabalho.

Instalada em um terreno de 2,213 milhões de m², com área construída de 57 mil m², a fábrica tem capacidade para produzir 662 milhões de litros de bebidas, por ano. Estão sendo produzidos no local refrigerantes (Coca-Cola, Coca-Cola Sem Açúcar, Fanta Laranja, Fanta Uva, Fanta Guaraná) e água mineral com e sem gás, em diferentes tipos de embalagens. A nova unidade também permitirá à empresa duplicar sua produção em PET retornável.

“Com a nova unidade, Andina mais do que dobra sua capacidade de produção em garrafas retornáveis. Isso permitirá oferecermos embalagens sustentáveis e convenientes, contribuindo para o nosso compromisso de redução de resíduos. A nova fábrica ainda inclui um alto nível de tecnologia e usa energia limpa, além de contar com os mais altos padrões de qualidade. Parabenizamos a Coca-Cola Andina por este marco e agradecemos o investimento no futuro de nossos negócios”, ressaltou James Quincey, presidente da The Coca-Cola Company.

A unidade conta com monitoramento online dos dados operacionais, plataformas de Internet das Coisas (IoT), realidade aumentada, soluções de Inteligência Artificial e Big Data. De acordo com Renato Barbosa, presidente da Coca-Cola Andina, o nível de automação e digitalização dos dados alcançados garantem mais agilidade, controle, segurança e eficiência. O modelo de produção é altamente seguro contra contaminações e acidentes, com linhas e fluxos independentes.

Alguns processos e equipamentos existentes na fábrica são únicos no Brasil. O uso de LGVs (Laser Guided Vehicle) para transporte de insumos e produtos, e não só para armazenamento e organização em pallets, dão mais agilidade e controle. Os equipamentos autônomos podem trabalhar 24 horas sem nenhum tipo de emissão de carbono e contam com inteligência artificial para gerenciamento de estoque.

Outro ineditismo é a utilização de linhas de produção com tecnologia triblock, ou seja, todo o processo, desde a fabricação da garrafa, rotulagem, enchimento e colocação da tampa é feito na mesma máquina. Todo o processo de produção é feito com uma economia de 20% em energia e de 30% em água em relação à média do sistema Coca-Cola no Brasil.

A sala de controle por videowall permite a visualização dos espaços e o acesso a dados e telas por todos os supervisores da planta, assim como o monitoramento dos processos em tempo real (manutenção industrial, propriedade e produção), gerando alerta de eventos não desejáveis, sejam eles relacionados à iluminação, ao ar-condicionado, à detecção de incêndio ou ao consumo de água e de energia.

A Coca-Cola Andina, uma das três maiores engarrafadoras da América Latina, é a produtora e distribuidora dos produtos licenciados pela The Coca-Cola Company no Brasil, Argentina, Chile e Paraguai. O grupo tem 11 fábricas em operação – três no país. A Coca-Cola Andina entrou no mercado brasileiro em 1994, com a aquisição da Rio de Janeiro Refrescos.

Nova fábrica permitirá duplicar linha de produção de PET Retornável

Nova fábrica permitirá duplicar linha de produção de PET Retornável

Novo equipamento produz, lava, rotula e envasa

Novo equipamento produz a garrafa, lava, rotula e envasa

Comentários


menu
menu