Realidade Aumentada e interação

Tecnologia dá às marcas a possibilidade de explorar, através das embalagens, conteúdos ainda não aproveitados
Por Fernando Godoy*

Artigo publicado na revista EM+ 8

 

Fernando Godoy é fundador e diretor comercial da Flex Interativa, empresa pioneira em soluções inovadoras e experiências digitais

Fernando Godoy é fundador e diretor comercial da Flex Interativa, empresa pioneira em soluções inovadoras e experiências digitais

As inovações disruptivas estão impactando praticamente todos os setores da economia mundial. Carros autônomos, Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial, Big Data, Blockchain, Impressão 3D e a Realidade Aumentada e Virtual são alguns exemplos desta transformação que a nossa sociedade está vivendo.

Uma das inovações que mais admiro e está mudando a forma de interagir, treinar e informar é a realidade aumentada (RA). Com esta tecnologia é possível através de um aplicativo mobile apontar para uma imagem, também conhecida como marcador ou target e exibir uma nova camada de conteúdo através da tela do smartphone ou tablet. Os conteúdos exibidos podem ser animações 2D ou 3D, vídeos, hologramas, infográficos e até mesmo games temáticos sobre o produto. O objetivo é sempre trazer ao consumidor algo exclusivo, gerando engajamento, curiosidade ou mesmo um benefício para o usuário, como um desconto no produto ou um link para uma promoção no site da companhia.

Em minha empresa, que é pioneira em experiências digitais, junto com meu sócio, Marcelo Rodino, que é diretor de criação, temos desenvolvido alguns cases interessantes no mundo das embalagens. Leuven 2Nossa primeira experiência foi aplicar esta inovação no rótulo da cerveja Leuven. A cervejaria estava trocando o estilo dos rótulos e adotando personagens medievais como o Rei Arhtur, cavaleiros, dragão, mago, feiticeira etc. O público de cerveja artesanal busca cada vez mais informações sobre o produto e com uso de realidade aumentada conseguimos criar um conteúdo ao mesmo tempo lúdico, onde os personagens ganhavam vida através de animações 3D, e informativo, contando a história da cervejaria ou dando mais detalhes de um determinado estilo. Tal inovação fez com que o produto ganhasse destaque no PDV e gerou um aumento de mais de 40% nas vendas. De quebra muitos posts criados por clientes viralizaram, mostrando a animação gerada na tela de seus smarthphones, com selfies e até mesmo vídeos com os personagens medievais. Foi o primeiro rótulo de cerveja no Brasil a utilizar a realidade aumentada, ganhando prêmios no Brasil e nos EUA como embalagem de bebidas inovadora.

Na sequência, aplicamos a RA em outros segmentos, como em embalagens para suplementos nutricionais, onde cada pote exibia um vídeo com dicas de treinamento para os atletas. Na linha farmacêutica (OTC), a RA demonstrava o funcionamento do medicamento através de uma animação exibindo a tripla ação do produto. Na Henkel, empresa alemã especializada em produtos químicos e adesivos, a RA ajuda na demonstração da aplicação de seus produtos desde a linha infantil até aviões através de painéis interativos utilizados como marcadores. Mais recentemente, a Polishop adotou a RA em sua revista, para demonstrar o funcionamento e  os benefícios de alguns dos seus principais produtos campeões de vendas. A ideia é levar para a embalagem animações 3D e vídeos explicativos sobre o produto.

O grande diferencial da RA não é a tecnologia em si, mas sim a possibilidade de criar formas de conteúdo ainda não exploradas pelas marcas. Com embalagens, é possível dar vida a qualquer produto, exibindo um mascote ou garoto propaganda, passando pelas características do produto através de um infográfico, mostrando depoimentos, explicando o passo a passo para instalação, formas de utilização ou descarte. Imagine um produto alimentício tendo a possibilidade de exibir no vídeo uma receita com um chef de cozinha ou sugerir a harmonização com um determinado tipo de vinho ou cerveja artesanal. Para artigos esportivos, que tal exibir infográficos mostrando a performance ou índices comparativos, estudos clínicos ou lançar uma promoção onde o usuário pode colecionar novos itens, como um álbum de figurinhas, simplesmente ao apontar para diferentes embalagens de uma linha de produtos?

Realmente as possibilidades de interação com uma embalagem são infinitas, pois a realidade aumentada torna uma experiência digital entre cliente e produto em algo inovador, lúdico e informativo. Em alguns casos a própria embalagem se torna um souvenir e o cliente carrega consigo para mostrar esta nova tecnologia em casa ou no escritório.
Num mercado onde cada vez mais os consumidores analisam as embalagens buscando informações complementares, a RA se torna a ferramenta mais eficaz para atender esta demanda e tornar a experiência entre embalagem e cliente algo único e influenciador na decisão de compra. A frase que melhor reproduz esta situação foi um post no Facebook de um cliente na página da Cervejaria Leuven: “Nunca comprei cerveja artesanal pelo rótulo, mas esta animação através da realidade aumentada já me surpreendeu de um forma tão incrível que vou levar de olhos fechados”. Importante dizer que na embalagem consta apenas um pequeno logo informando que este produto contém realidade aumentada.

 

 

Comentários


menu
menu