Riscos em processo de embalagens e seus impactos

Tecnologia é a grande aliada no controle das atividades complexas do desenvolvimento de embalagem

Por Ana Carolina Senday*

Artigo publicado na revista EM+6

* Ana Carolina Senday atua há mais de 12 anos na área de supply chain, com passagem pela empresa de consultoria Accenture, conduzindo projetos junto a grandes fabricantes de bens de consumo e redes de varejo. Especialista em desenho de processos, trabalha atualmente na Blue Software, empresa que desenvolve ferramentas on-line para gestão de processos de embalagens

* Ana Carolina Senday atua há mais de 12 anos na área de supply chain, com passagem pela empresa de consultoria Accenture, conduzindo projetos junto a grandes fabricantes de bens de consumo e redes de varejo. Especialista em desenho de processos, trabalha atualmente na Blue Software, empresa que desenvolve ferramentas on-line para gestão de processos de embalagens

Quando pensamos em embalagem, pensamos na maneira com que uma marca se comunica com o seu consumidor final na hora da compra, e sabemos que ela pode fazer toda a diferença entre a escolha do seu produto ou o de seu concorrente. Mesmo assim, a execução de projetos de embalagem é, em muitas empresas, considerada um processo de pouca complexidade. No entanto, todos os envolvidos com esse processo sabem das dificuldades para alinhar informações, setores e pessoas, fazendo com que o resultado final seja positivo e a marca esteja bem representada no mercado.

As expectativas dos reguladores, dos gestores da empresa e dos consumidores finais aumentam frequentemente. As regulamentações governamentais mudando constantemente. Cada país exige que informações diferentes sejam exibidas nas embalagens, e em formas específicas, multiplicando ainda mais a complexidade dos projetos. O desafio está em balancear essas necessidades com o desejo das empresas de oferecer produtos de forma mais eficiente, rápida e sempre a um custo mais baixo – o que geralmente significa menos recursos dedicados aos processos específicos de embalagem.

Em casos de erros nas embalagens, além da ruptura na gôndola do varejo, perda de receita e incumprimento de acordos comercias, não podemos ignorar o risco de recall, onde receitas perdidas se somam com materiais já pagos e aos custos de mão de obra necessários para levar os produtos à prateleira. Isso sem falar em possíveis medidas regulamentares, sanções ou até mesmo processos judiciais de consumidores.

Todas essas condições externas têm consequências potencialmente devastadoras. As pressões internas e as expectativas de mercado focam nossa atenção para uma importante tarefa: garantir a excelência na gestão dos processos de embalagem do produto.

Com tanta coisa em jogo, a embalagem deve ser produzida com garantia de que 100% das informações ali presentes estejam corretas para seus mercados e consumidores. Em casos extremos, a vida do consumidor pode depender das informações ali impressas, especialmente em caso de alérgenos ou instruções de dosagem de medicamentos.

Apesar de todos esses riscos e da disponibilidade de tecnologias modernas que fazem a gestão do processo de embalagem completo, ainda vemos que alguns processos de comercialização de produtos são realizados apenas pelos esforços heroicos dos gerentes de embalagens e profissionais de P&D e de marketing, que desafiam horas e dias para garantir o sucesso de seus produtos, enfrentando processos complexos, conflitos de personalidade, falta de documentação e os desafios de agenda do dia-a-dia.

Mas há riscos potenciais quando se abre mão da tecnologia de controle de processos de embalagem.

Processos detalhados e proprietários de cada empresa, no que se refere à embalagem, podem ser aperfeiçoados a cada etapa do projeto: aprovação de briefing, comunicação com agências, colaboração online, gestão do processo e envio de materiais para seus parceiros de impressão, o que garante visibilidade, qualidade e segurança nas informações que serão incluídas nas embalagens que chegam ao mercado.

Em casos onde se experimentam atrasos na execução de projetos especificamente devido a demoras de aprovação de embalagens, há o risco de impactos financeiros de milhões de reais em oportunidades perdidas. O uso da tecnologia permite que se mantenham os processos de desenvolvimento e aprovação de embalagens sob controle, acelerando o fluxo de trabalho. Os resultados em termos de redução de time to market podem ser tão revolucionários que a excelência nessa área deveria ser considerada uma estratégia de crescimento dos fabricantes de bens de consumo.

Além da gestão de riscos potenciais, a capacidade de execução de embalagem sem falhas é uma vantagem competitiva em em mercado altamente regulamentado e globalizado. A agilidade para se adaptar às demandas em mudança de entidades reguladoras e consumidores e a facilidade de colaboração interna entre os departamentos e seus prestadores de serviço colocam as empresas em posição de se manterem equilibradas, independentemente das circunstâncias.

O uso da tecnologia para controlar processos de desenvolvimento de embalagens ajuda a reduzir riscos

O uso da tecnologia para controlar processos de desenvolvimento de embalagens ajuda a reduzir riscos

Comentários


menu
menu