Nova fábrica de embalagens da rose plastic centraliza operações em Sorocaba

Fachada

A rose plastic iniciou as operações de sua nova planta em Sorocaba (SP). O empreendimento, que recebeu investimentos de R$ 21 milhões, reúne em um só espaço fábricas de embalagens plásticas para vários segmentos da indústria, além da sede administrativa da empresa alemã no Brasil.

Para ajudar no relacionamento com entidades públicas e principalmente questões de licenciamento ambiental, a rose plastic conta agora com o apoio da Investe São Paulo, a Agência de Promoção de Investimentos e Competitividade do Governo do Estado. “Sabemos que a planta foi construída com espaço para expansão no futuro, e nossa equipe está pronta para ajudar a empresa a incrementar cada vez mais sua participação no mercado brasileiro”, afirma o diretor da Agência, Sérgio Costa.

A implantação da nova unidade é resultado de um plano de expansão que começou em 2015. Na época, a rose plastic, que já tinha tradição e posição de líder de mercado na produção de embalagens plásticas para aplicações industriais na cidade, procurava uma maneira de passar pela crise econômica que estava atingindo o País.  A estratégia foi penetrar em outros segmentos da indústria, diversificando a produção.

“Nossa matriz acredita muito na recuperação da economia e no potencial de negócios no Brasil. Entramos então em outros segmentos, fabricando outros tipos de embalagens, como frascos e tampas que requerem mais tecnologia”, explica o diretor-geral da fábrica, Roberto Restivo.

Para não partir do zero, os executivos optaram por adquirir os ativos e a carteira de clientes de uma empresa que já estava no segmento de termoplásticos com uma planta em São Paulo capital, aplicando às novas máquinas o know-how e a metodologia de gestão europeus.

Com a ampliação das receitas da empresa e a retomada do mercado, surgiu também a necessidade de incrementar as operações da primogênita da rose plastic em Sorocaba, que já estava se tornando pequena para a demanda. Ampliaram o espaço disponível com um novo galpão alugado ainda em 2015, antes da construção da unidade inaugurada recentemente.

“Para a consolidação e melhor reconhecimento do mercado, fizemos primeiro a ampliação da produção e depois a mudança para a nova planta, construída ao longo de 2017. Nos últimos dois anos crescemos, praticamente dobramos de tamanho, e agora mudamos de casa”, afirma Restivo. Os três galpões que estavam ativos antes tinham entre 800 e 900 metros quadrados cada. Já a unidade central recém-inaugurada tem cerca de 6,5 mil metros quadrados, com quase metade da área disponível para expansão.

Comentários


menu
menu