Setor de transformados plásticos tem pior desempenho desde 2009

 

A produção da indústria brasileira de transformados plásticos caiu 8,7% em 2015, com uma produção de 6,1 milhões de toneladas de artefatos plásticos. O número foi divulgado nesta segunda-feira pela Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast). A queda é a maior desde a crise iniciada em setembro de 2008, que apresentou sérios reflexos no mercado mundial e brasileiro durante o ano de 2009, período em que a produção do setor recuou 13,3%.

O movimento do setor de transformados plástico seguiu o desempenho da indústria brasileira de transformação, que apresentou retração geral da produção de 9,9%. Importantes setores demandantes de plásticos tiveram quedas significativas como o setor automotivo (-25%); Alimentos (-2,4%) Bebidas (-5,4%), Eletroeletrônicos (-30%) e Higiene e Perfumaria (-3,8%).

De acordo com a Abiplast, embora o dólar esteja auxiliando os setores a aumentarem sua competitividade no mercado internacional com impacto nas exportações, que cresceram 8,8% em 2016, da mesma forma que o câmbio favorece um incremento das exportações, o dólar alto impacta diretamente nos custos e nos preços de matérias-primas, que tem parte de seus preços determinados em dólares. A Abiplast afirma que no mercado internacional há um movimento de retração de preços de resinas por conta da forte queda do petróleo e derivados, que não foi sentida no Brasil, por conta das variações cambiais repassadas aos preços das resinas nos mercados domésticos.

Comentários


menu
menu