Embalagens de Cafés de Origem do Café do Centro ganham textura

Café do Centro

As embalagens da linha de Cafés Especiais de Origem do Café do Centro ganharam estampas específicas para cada uma das seis regiões produtoras. Pátina, palha, renda, fuxico, chita e ladrilho são as texturas e que remetem às regiões do Espírito Santo, Cerrado Mineiro, Bahia, Paraná, Sul de Minas e Mogiana. As embalagens foram desenvolvidas pela agência BST! Design.

“Acreditamos que a embalagem, além de acondicionar o produto, também deve ser um meio de divulgar cultura. Todo design deve buscar o significado mais intrínseco do produto. E o café é muito ligado ao interior do país, pela agricultura, pelas fazendas… Durante muitos anos, as grandes fazendas produtoras de café sustentaram a economia do Brasil. Assim, nada mais apropriado que marcar a história nessas embalagens, reavivando as texturas das fazendas de café do interior”, explica Baíta Sicupira, diretora do BST! Design. A impressão foi feita pela Santa Rosa Embalagens Flexíveis, “O trabalho foi muito criterioso, já que por se tratar de representar as texturas, precisávamos de alta qualidade de impressão”, ressalta Sicupira.

As seis regiões e suas texturas

Espírito Santo – A pátina é um tipo de revestimento protetor aplicado em casas ou móveis de madeira. É uma técnica que dá efeito rústico de desgaste e envelhecimento muito suave. Com o tempo ganhou status e virou sinônimo de elegância das grandes fazendas do interior.

Cerrado Mineiro – A palha é um subproduto vegetal que após desidratada é usada na indústria, no artesanato e até como combustível. Utilizada também para fazer adereços regionais como os chapéus de palha ou, até, a peneira para a seleção do café.

Bahia – Tipo consagrado, a baiana reúne elementos visuais de tradição barroca europeia, como saias armadas, volumosas; e cores e texturas de peças africanas. A renda está presente compondo toda a sua vestimenta, sendo a grande marca da roupa da baiana.

Paraná – O fuxico é um artesanato de tecido onde um pequeno círculo com as extremidades alinhavadas e franzidas inspira a criação de enfeites e adereços, até a composição de peças maiores como colchas e mantas, muito comum nas propriedades cafeeiras do interior do Brasil.

Sul de Minas – A chita é um tecido de algodão, de trama rudimentar, com estampas florais coloridas, que compunha os vestidos das mulheres do interior. A chita foi introduzida no Brasil a partir de 1800 pelos europeus. Hoje é usada por decoradores e estilistas em suas coleções.

Mogiana – O ladrilho é um tipo de revestimento artesanal feito à base de cimento, usado em pisos e paredes. É reconhecido por sua resistência e por suas qualidades decorativas, precioso trabalho feito à mão que contribui para a construção do Brasil.

Comentários


menu
menu