Mercado de créditos de logística reversa de embalagens começa a operar

Começou a funcionar hoje o primeiro mercado de créditos de logística reversa de embalagens do Brasil. A iniciativa é resultado de parceria entre o Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) e a BVRio – Bolsa Verde do Rio de JaneiroA intenção é aproximar os catadores das empresas que precisam cumprir metas na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

De acordo com a PNRS, a companhias devem promover a logística reversa de embalagens pós-consumo, envolvendo os catadores nesse processo. Hoje mais de 800 mil pessoas trabalham como catadores de materiais recicláveis. Responsáveis por mais de 70% de toda a coleta seletiva realizada no país, os catadores são remunerados unicamente pela venda do material triado, mas não pelo serviço ambiental que resulta da coleta e triagem, ou seja, a atividade de logística reversa realizada por eles.

O mercado funcionará distribuindo créditos aos catadores depois de uma análise de suas atividades, sendo que a quantidade e o valor vão variar de acordo com o material dos resíduos trabalhados. Posteriormente, as empresas podem comprar os créditos como se tivessem sido elas próprias quem tivessem feito o reaproveitamento dos resíduos. O processo de criação dos créditos envolve o registro de toda a atividade de coleta, triagem e venda do material triado em um Sistema de Gestão eletrônico. Os CLR são emitidos por tipo de material triado e vendido, com nota fiscal.

A primeira empresa interessada no mercado foi o Grupo Boticário, que a partir de hoje e durante os próximos dois meses deverá adquirir o equivalente a 1.200 toneladas de carbono em créditos.

O valor das transações do Grupo Boticário não foi divulgado, mas pelo portal da BVRio é possível ver a cotação dos vários tipos de créditos, que estão atualmente avaliados na faixa de 100 reais a unidade.

Comentários


menu
menu