Danone expande uso de resina vegetal em embalagens de iogurte

A Danone adotou embalagens de plástico biodegradável, produzido com ácido polilático (PLA), à base fontes vegetais, como o milho, para 5% de suas embalagens de iogurte. O PLA substitui o poliestireno (PS) e foi adotado pela empresa nos potes dos iogurtes orgânicos nos Estados Unidos e na Alemanha.

Além da justificativa ambiental, a substituição de materiais tem uma razão econômica. “Apesar de o preço do quilo da resina de PLA ser mais alto que o do poliestireno, ele se torna economicamente viável por permitir que as paredes das embalagens termoformadas sejam mais finas, por ser mais resistente, reduzindo espaço no transporte”, explica Roman Forowycz, chefe marketing da Clear Lam Packaging, empresa que produz as embalagens para a Danone. Outro argumento é que o PLA tem maior estabilidade de preços a longo prazo que os materiais à base de petróleo.

O desenvolvimento dos agentes químicos que permitiram a redução da densidade do PLA foi feito em conjunto pela Danone e pela Clariant International, na Suíça. O desenvolvimento permitiu que as embalagens de PLA tenham espessura de 27 milésimos de polegada, contra 36 milésimo das embalagens feitas com PS.

A primeira embalagem da Danone produzida com PLA foi apresentada na Alemanha, em 2011, e adotada pelo iogurte Activia.

No Brasil, a empresa utiliza polietileno verde, produzido pela Braskem, nas embalagens dos iogurtes líquidos Activia e Danoninho.

Comentários


menu
menu