Primeira fábrica de papel de palha de cana começa a funcionar em São Paulo

FibraresistO Estado de São Paulo inaugura a primeira fábrica de papel produzido a partir da palha da cana-de-açúcar, em Lençóis Paulista. A FibraResist, do Grupo Cem Participações, terá capacidade para produzir até 72 mil toneladas anuais de pasta mecânica celulósica – uma fibra virgem utilizada para a produção de papel – a partir da palha da cana-de-açúcar e vai gerar inicialmente 62 novos postos de trabalho.

Resultado de seis anos de estudos, a tecnologia pioneira no mundo transforma a matéria-prima em pasta mecânica celulósica para fabricação de papéis e embalagens.

Com investimento total de 25 milhões de reais (12 milhões de recursos próprios, 10,5 milhões financiados por meio da agência Desenvolve SP, do Governo do Estado de São Paulo, e 2,5 milhões provenientes de financiamentos bancários), a FibraResist ocupa uma área total de 60 mil metros quadrados.

Cerca 80% da fábrica, que está em fase final de implantação do processo, foram construídos a partir de equipamentos reutilizados, comprados de outras empresas.

Segundo Mario Welber, relações públicas da FibraResist, o processo industrial desenvolvido pela empresa é inédito no mundo e tem como principal característica o forte apelo ambiental. “Transformamos um subproduto em matéria-prima, desenvolvendo um processo que, além de dar à palha da cana-de-açúcar uma destinação sustentável, é livre da emissão de CO² e outros gases poluentes, porque é um processo totalmente a frio, feito todo em temperatura ambiente”, explicou Welber.

O segredo para a produção do papel é o biodispersante, que separa a lignina (molécula que dá rigidez às células das plantas) das fibras existentes na palha. Foi criado pela própria empresa e elimina a necessidade de calor. O processo envolve um circuito fechado que evita perdas e desperdício de água, e o pouco resíduo gerado na produção pode ser reutilizado como adubo no campo, entre outras finalidades. A pasta foi avaliada e classificada pela Universidade Federal de Viçosa (MG).

A pasta mecânica celulósica produzida pela FibraResist se diferencia da celulose comum principalmente por não ser branqueada, já que não passa pelo processo químico para o clareamento. Por este motivo, resulta em um papel um pouco mais escuro utilizado em processos de produção de embalagens e outros produtos que necessitem de fibra virgem.

Comentários


menu
menu