Rolha é capaz de variar entrada de oxigênio

Muito se fala da oxidação de vinhos, mas pouco se fala do fenômeno inverso, a redução. Este ocorre devido à falta de ingresso de oxigênio nas garrafas após o envase. O resultado é a geração de sulfetos que alteram o sabor da bebida, criando notas desagradáveis. Uma nova rolha sintética, a Select 100, promete acabam com esse problema. A novidade tem uma construção especial que, segundo sua inventora, a americana Nomacorc, é capaz de gerenciar a entrada de oxigênio na embalagem.

De acordo com a Nomacorc, o diferencial da Select 100 é uma mudança automática de características. Durante os estágios iniciais de desenvolvimento do vinho, a rolha proporcionaria ingressos de oxigênio próximos do zero, coibindo a oxidação; nos estágios posteriores de maturação, quando os vinhos ficam mais suscetíveis à redução, permitiria um pequeno e consistente nível de entrada de oxigênio. “É um processo revolucionário, que maximiza a preservação do aroma e do frescor”, diz Stéphane Vidal, enólogo da Nomacorc.

A nova rolha é designada para vinhos delicados – especialmente para aqueles que requeiram maturação prolongada, como vinhos tintos encorpados. Isso não significa, contudo, que rótulos mais populares não estejam entre seus alvos. A Nomacorc diz que, para esse perfil, a Select 100 é uma opção vantajosa frente à tampa de rosca – segundo a empresa, o sistema de fechamento mais associado a ocorrências de redução.

Produzida a partir da coextrusão de uma composição especial de polietileno expandido, processo que a Nomacorc compreensivelmente evita detalhar, a Select 100 tem aparência bastante parecida à das rolhas de cortiça. A novidade integra a primeira categoria de rolhas sintéticas capazes de receber impressão em suas extremidades. Mais detalhes podem ser conferidos no vídeo abaixo.

Comentários


menu
menu