Cerviflan comemora 35 anos e lança programa de cursos

Em evento realizado nesta quinta-feira (20/10) em São Paulo, a Cerviflan reuniu parceiros comerciais para comemorar 35 anos de atividades e anunciou o lançamento de um programa de treinamento técnico sobre embalagens de aço para o mercado químico e de aerossóis.

A iniciativa, intitulada Universidade da Lata, começa a vigorar a partir do ano que vem e estará aberta a todos os interessados no assunto. “Ainda definiremos o formato dos cursos, cujas edições dependerão da procura”, disse o diretor-presidente da empresa, Vicente Lozargo Filho.

O objetivo da Universidade da Lata, segundo Lozargo Filho, é orientar os profissionais a distinguir, controlar e especificar embalagens que sejam mais adequadas às necessidades de seus produtos. “Queremos compartilhar nossa experiência no ramo de embalagens metálicas e transmitir a mensagem de que a busca por custos não pode se sobrepor aos requisitos técnicos”, diz o empresário.

Após coletiva para a imprensa, a Cerviflan ofereceu um almoço a cerca de 300 representantes de empresas parceiras e clientes, para celebrar seu aniversário.

Fundada em 1976 como beneficiadora de aço – a partir de sucata recolhida em metalúrgicas –, a Cerviflan hoje afirma estar entre as principais fabricantes de latas de aço do País. Sua fábrica, localizada em Guarulhos (SP), emprega atualmente 280 funcionários. A empresa afirma, também, ser a mais capacitada na confecção de recipientes (tubos) de aço para aerossóis.

Iniciado em 2005, o negócio de embalagens para aerossóis da Cerviflan hoje responde pela produção de 120 milhões de unidades/ano. A empresa acaba de instalar sua quinta linha e prevê novos investimentos para o próximo ano. A previsão é de que o output salte para 200 milhões de latas por ano em 2012.

O investimento visa acompanhar um esperado aumento da demanda pelos setores químico e de tintas, além de uma receptividade maior pela indústria de cosméticos – ainda bastante cativa dos aerossóis em lata de alumínio, maciçamente importados.

“Enquanto um projeto de aerossol em lata de alumínio costuma levar seis meses, um aerossol em aço tem um lead time (processo que envolve toda a cadeia de produção: do planejamento da embalagem ao envase) de 45 dias”, ilustra Lozargo Filho. “Ademais, o aço possibilita mais tecnologias de decoração, enquanto o alumínio é preso a processos serigráficos limitados.”

Um dos principais chamarizes da Cerviflan para atrair clientes do setor de cosméticos é a lata de 45 milímetros de diâmetro dotada de aplicação de uma película de PET no fundo e no domo. “Essa embalagem foi pensada especialmente para o envase de desodorante. Com o PET no fundo, ela pode ficar na pia ou no toucador, sem o risco de ferrugem”, sustenta Lozargo Filho.

O dirigente sustenta que a Cerviflan conta com um parque fabril “sem par” no mercado brasileiro, em que sobressaem equipamentos como a tesoura guilhotina – segundo Lozargo Filho, a única da América Latina. “Com nossa atual fábrica, temos a linha mais completa em diâmetros e alturas de latas de aerossóis”, complementa o executivo.

Antes de atuar no setor de latas para aerossóis, a produção da Cerviflan era totalmente dedicada às embalagens metálicas para a área química e de tintas. A fabricação de latas, agora, está dividida em 70% para tintas imobiliárias e 30% para aerossóis. A tendência, porém, é de que a produção chegue a meio a meio, em médio prazo.

 

Comentários


menu
menu